joomix

Aranhas

A aranha é um animal articulado da classe dos aracnídeos, dotado de quelíceras venenosas e de fiandeiras abdominais que dão a seda para sua teia. A subclasse das aranhas compreende três ordens: migalomorfas, litistiomorfas e araneomorfas, estas ultimas são as mais numerosas e as mais evoluídas, constituindo as aranhas no sentido mais restrito da palavra.

O corpo da aranha compõe-se de duas partes nitidamente separadas: o cefalotórax ou prossoma (com todos os apêndices – gancho venenoso, ou queliceras, pedipalpos ou maxilípedes, quatro pares de patas locomotoras e freqüentemente tecedoras) e o abdômen ou opistossoma (sem apêndices, porém com quase todos os orifícios do corpo – estigmas das traquéias, ostíolos pulmonares, orifício genital, ânus e fiandeiras para tecer a seda).

A maior parte das aranhas faz teias para capturar insetos. Perfuram as presas com seus ganchos, a fim de matá-las e liquefazer-lhes o conteúdo, para depois sugalas aspirando esse conteúdo.

Muitas aranhas devoram seus machos, logo após a fecundação. Os ovos geram crias já muito semelhantes aos animais adultos.

 Características:

- Phoneutria nigriventer ( Aranha Armadeira )
Possui coloração marrom, com pares de manchas ao longo da parte dorsal do abdome e oito olhos em três fileiras: 2:4:2, 4 a 5 cm de corpo, podendo atingir até 12 cm. Vive em bananeiras, sob troncos caídos, bem como próximo e dentro das moradias. É a mais agressiva. Não faz teia e assume posição de defesa quando se sente ameaçada. Seu ataque é feroz, com várias picadas seguidas e injetando veneno em cada uma delas.

- Várias espécies ( Aranha Caranguejeira)
frequentemente temida por causa da aparência e tamanho, muitas vezes chagando a atingir 10 cm de corpo e 30 cm de envergadura. No Brasil não são conhecidas espécies responsáveis por envenenamento humano. As picadas costumam provocar apenas dor de pequena intensidade e de curta duração. Possuem outro mecanismo de defesa, inclusive mais frequentemente utilizado, que consiste em atritar vigorosamente as pernas traseiras no abdome, espalhando uma nuvem de pelos com ação irritante em direção ao inimigo. Os pelos podem causar alergias com manifestações cutâneas ou problemas nas vias respiratórias.

Lycosa erythrognatha ( Aranha de Jardim ou Tarântula )

Frequentemente encontrada em todo o Brasil. O corpo chega a 5 cm de envergadura. Possui coloração acinzentada com mancha negra em forma de seta no dorso do abdome. Seu veneno é pouco potente. Possui hábitos diurnos, vivendo muito próximo a residências, em jardins, áreas gramadas, pastos e próximo a piscinas.

Latrodectus curacaviensis ( Viúva Negra)

Conhecida como flamenguinha e aranha de barriga vermelha. Possui coloração preta com faixas vermelhas no abdome. As fêmeas (com cerca de 1cm) são bem menores que os machos. Apresentam oito olhos em duas filas: 4:4. Constroi teias sob vegetação rasteira, arbustos e barrancos e, muitas vezes, pode se encontrar aglomerados dessas aranhas, porém cada uma vive em sua própria teia. Geralmente, seu veneno é extremamente potente. A espécie brasileira não oferece perigo aos seres humanos, tanto que, para este tipo de acidente, não se produz soro no Brasil.

Loxosceles spp ( Aranha Marrom )

Possui cefalotórax mais achatado. De tamanho pequeno, não ultrapassa 2,5 cm de envergadura. Sua coloração é castanha e apresenta poucos pelos. Seu hábito é noturno e é muito comum dentro de residências, escondendo-se atrás de quadros, móveis e no meio de roupas usadas. Não faz teia, mas forra seu abrigo com um tapete pegajoso de seda. As aranhas marrons são muito conhecidas por serem causadoras dos piores envenenamentos. Seu veneno atinge as células sanguíneas, destruindo tecidos e provocando necrose. Por seu veneno ser anestésico, a pessoa não sente sua picada e procura assistência médica somente quando os sintomas estão mais avançados.

 Medidas Preventivas:

  • Não plantar bananeiras próximas ao ambiente;
  • Fechar portas e janelas ao entardecer em locais muito arborizados;
  • Manter fechados armários e gavetas;
  • Examinar roupas e calçados antes de usá-los;
  • Vistoriar objetos e móveis que tenham sido guardados por períodos prolongados;
  • Manter jardins, gramados e terrenos sempre limpos e livres de galhos, folhas e outros esconderijos;
  • Adotar medidas de prevenção e controle de insetos;
  • Se crianças forem picadas devem receber logo nas primeiras horas a aplicação do soro antiaracnídico fabricado pelo Instituto Butantã, pois são muito mais sensíveis.